DEIXE SEU E-MAIL PARA MAIS NOVIDADES

Atlas Digital Geoambiental: ideia, história e prestação de serviço à sociedade

O Atlas Digital Geoambiental elaborado pelo Instituto Prístino tem o objetivo de socializar o conhecimento e promover discussões sobre conservação da natureza, governança e uso racional dos recursos naturais entre instituições públicas, terceiro setor e a sociedade. Devido às informações cartográficas, mesmo que públicas, estarem inseridas em diversos sites da internet, dispersas, o que dificulta a consulta e comparação entre os dados, o Instituto Prístino idealizou um projeto para disponibilizar informações espaciais sobre temas ambientais de forma organizada, centralizada e de fácil interatividade.

A primeira versão desta ferramenta foi em 2014, com a disponibilização de 18 temas ambientais sobre os geossistemas ferruginosos localizados no Quadrilátero Ferrífero, Bacia do Rio Santo Antônio (Serra da Serpentina) e Vale do Rio Peixe Bravo. A partir desta versão, foram realizadas palestras e minicursos à sociedade, instituições públicas e de ensino com vistas a promover o uso do Atlas. Durante os eventos, o Instituto Prístino recebeu críticas e sugestões, as quais serviram de base para aprimoramentos e ampliação da ferramenta, como por exemplo: a disponibilização de vários temas para o estado de Minas Gerais. Esta demanda foi sugerida pelos usuários, os quais que externavam a necessidade e a carência por este tipo de ferramenta.

Nos anos de 2016 e 2018, o Atlas foi reestruturado  (Figura 1) e incluído um terceiro Atlas: Sinclinal Moeda, para a visualização de informações relacionadas a gestão das águas.

Imagem Atlas MG
Figura 1 – Atlas Digital Geoambiental de Minas Gerais

Atualmente existem três Atlas  (Figura 2), Geossistemas Ferruginosos – Quadrilátero Ferrífero, Vale do Peixe Bravo e Serra da Serpentina); Sinclinal Moeda e Municípios de Minas Gerais. Este último Atlas conta com mais de 100 camadas relacionadas aos atributos de conservação em geodiversidade, biodiversidade e patrimônio histórico e cultural;  infraestrutura, hidrografia, uso e cobertura do solo,  monitoramento ambiental, entre outros.

Figura 2 – Acesso ao Atlas de Minas Gerais, Sinclinal Moeda e Geossistemas Ferruginosos

O Atlas ainda conta com uma publicação para instruções de uso, além de diversas ferramentas, muitas delas desenvolvidas exclusivamente para este produto, que permitem a realização de análises básicas, inserção e exportação de camadas kml, geração de perfis topográficos, entre outras (Figuras 3 e 4).

Figura 3 – Publicação com instruções de uso do Atlas Digital Geoambiental. Fonte: https://www.institutopristino.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Cartilha_Atlas_Digital_-Geoambiental.pdf
Figura 4 – Ferramentas do Atlas Digital Geoambiental

Toda essa dedicação tem o intuito de oferecer uma ferramenta eficiente e simples de utilizar, disponibilizada de forma gratuita na internet.  Para que seja possível quantificar a importância dos produtos gerados e a sua relevância como um serviço prestado à sociedade, apresentamos uma síntese dos dados de monitoramento de acesso à página do Atlas Digital Geoambiental.

No intervalo entre 2019 e 2020, foram quase 20 mil acessos e cerca de 50.000 downloads de camadas espaciais, oriundos de diversas cidades do Brasil. Na Tabela 1 estão as 10 cidades que mais acessaram o Atlas.

CidadeNúmero de visitas
Belo Horizonte17.792
São Paulo2.317
Diamantina1.403
Rio de Janeiro1.302
Montes Claros1.292
Brasília1.287
Uberlândia1.276
Ouro Preto1.203
Viçosa934
Lavras791
Tabela 1 – Dez cidades com maior número de acessos ao Atlas Digital de Minas Gerais. Fonte: Google analytics.

Venha para a comunidade de usuários do Atlas Digital Geoambiental do Instituto Prístino! Estamos sempre engajados em melhorar as ferramentas e disponibilizar camadas. Acesse o Atlas Digital do Instituto Prístino e confira as diversas camadas que estão disponibilizadas. Destacamos que todas as camadas representam informações públicas, cabendo ao Instituto Prístino a compilação dos dados, de forma a facilitar o acesso da sociedade.

A ferramenta Atlas Digital Geoambiental lhe foi útil? Precisou de uma camada e ainda não a encontrou no Atlas? Visite nosso Facebook e Instagram e conte como você utilizou o Atlas e os dados disponibilizados, deixe seu depoimento para podermos compartilhar.

Para manter a gestão e manutenção do Atlas Digital – que inclui o armazenamento das camadas espaciais, a licença do software e a dedicação da equipe técnica – contamos com a colaboração de nossos usuários. Caso tenha interesse em realizar uma doação em qualquer valor, acesse https://www.institutopristino.org.br/faca-sua-doacao/ para saber mais.